A CIÊNCIA DA FELICIDADE

19/07/2016 17:58

 

O medo nasce da crença do não merecimento, e essa crença geralmente é formada na infância, de acordo com o sistema de educação adotado pelos seus pais, e pelo sistema religioso à qual a pessoa esteve inserida.

Uma criança não tem problema algum em querer algo, acreditar que vai ganhá-lo e sentir-se feliz com aquilo que pediu e acredita receber. Criança não tem motivo para acreditar que não é merecedora e nem possui a terrível crença de que está devendo alguma coisa para Deus. Essa criança é feliz, ela é pura e possui uma fé inabalável de que a vida foi feita para ser vivida de forma leve e feliz.

O problema é que essa criança possui pais infelizes e repletos de crenças baseadas na escassez, no medo e no sentimento de que o mundo é um lugar perigoso e cheio de problemas. E, tentando fazer o seu melhor, eles vão imbuindo todas essas crenças em seus respectivos filhos até que elas se tornem reais para eles. Ademais, todo método de educação vindouros desses pais estão baseados em apontar o erro visando o acerto, apontando o dedo para seus filhos e reafirmando aquilo de errado que eles fizeram. Acreditando, lamentavelmente, que ao apontar aquilo de ruim que eles tenham feito possa resultar em algo positivo. Isso é literalmente buscar a cura através do caminho da doença e tentar semear o amor plantando o ódio, o que obviamente não é e nunca será possível.

É a partir daí que a criança vai criando uma auto-imagem totalmente deturpada sobre si mesma e começa a carregar um acúmulo de culpas por ser como acha que é. Ela acredita na afirmação de seus pais e isso se transforma numa crença sobre ela mesma.

Procure avaliar o que você sente quando deseja uma casa melhor, um carro melhor ou um emprego melhor. Veja como a possibilidade de ser feliz te assusta e preste atenção naquela voz que diz a você que não é merecedor dessa felicidade.Talvez você sinta até vergonha de desejar algo que o faça bem e, por sentir a culpa por querer o que não merece ter, substitui o pensamento de buscar a felicidade pelo o de buscar o sofrimento, e como tudo o que você pensa torna-se real em sua experiência de vida esse sofrimento vem até você através do desejo inconsciente que você tem de sofrer, gerando medo da vida e de você mesmo por saber que no fundo está pedindo o que não quer experimentar.

A pergunta é: É sinal de sanidade crer que a vida foi feita para ser sofrida e que você nasceu através do pecado e que não é merecedor daquilo que te faça bem?

De fato, faz sentido você continuar acreditando que é um pecador e cobrando-se por algo que sequer sabe o que é?

Não permita que crenças limitantes definam a sua vida. Aceite a graça de quem quer agraciá-lo e aproprie-se daquilo que foi e sempre será a sua herança divina. Não tenha medo de ser aquele que não tem medo, não tenha vergonha de ser aquele que não tem vergonha, e não tenha pudor de ser aquele que não tem pudor. Recupere a pureza e a leveza da criança que ainda vive em você e permita que ela volte a imaginar e pedir tudo aquilo que te faz bem, pois a imaginação tem o poder de criar e você está aqui para isso.

 

Diogo Beltrame.