DESTINO E LIVRE ARBÍTRIO

17/08/2014 15:14
 


Mensagem de Owen K. Waters
17 de Agosto de 2014


Na Velha Realidade, as coisas eram vistas como opostas – quente ou frio, preto ou branco, bem ou mal, desta ou daquela maneira. Na visão expandida da consciência da Nova Realidade, a vida é vista de uma maneira unificada. Lados opostos da moeda são vistos, não como opostos, mas sim, como apenas sendo aspectos diferentes de uma moeda.

(Para ler a continuação em nova página, clique aqui)


Na visão do mundo na Nova Realidade, os extremos opostos de quente e frio se tornam graus variáveis do calor. Preto e branco se tornam, em vez disto, tons infinitos de cinza. Bem e mal se tornam nuanças diferentes da natureza humana e estes podem ser vistos sem o julgamento e o medo que vem com a Velha Realidade, com o pensamento polarizado.

Na Velha Realidade, destino e livre arbítrio eram vistos como mutuamente exclusivos. O raciocínio era que, se o destino existe, então ele a tudo controla e, portanto, o livre arbítrio não existe. Por outro lado, você pode provar que o livre arbítrio existe ao fazer uma escolha. Assim, como segue o pensamento, se o livre arbítrio existe, então não pode haver destino.

Mas, espere. Talvez esta escolha do “livre arbítrio” fosse realmente uma escolha pré-destinada. Talvez a pessoa estivesse destinada a fazer esta escolha o tempo todo, de modo que a experiência da escolha fosse apenas uma ilusão. Neste ponto, as pessoas costumam desistir de toda a questão, porque isto se transformou em um destes quebra-cabeças, como perguntar o que veio primeiro – o ovo ou a galinha.

Quebra-cabeças mantém a sua mente em um circuito interminável até que você recue da situação e a veja a partir de uma perspectiva mais ampla. A nova e mais ampla perspectiva permite a inclusão de fatores não materialistas. Ao decidir se o ovo ou a galinha veio primeiro, por exemplo, você tem apenas que recuar e ver que o Criador projetou a galinha para se perpetuar.

Quando você recua e vê o destino e o livre arbítrio a partir de uma perspectiva mais ampla, compreende que nada tem que ser absoluto. Se cada evento em sua vida fosse pré-ordenado, não haveria tal coisa como o livre arbítrio ou a autodeterminação. Quando temos o livre arbítrio, o destino não pode ser fixado.

O destino é, portanto, variável, não fixo. Destino e livre arbítrio existirão, ambos, como facetas entrelaçadas em sua vida. Como fios em uma tapeçaria, eles se interagem e se fundem para formar os resultados que são os eventos em sua vida.

Seu destino é criado por planos que você fez a um nível de alma. Antes que você nascesse, você fez o seu plano principal para esta vida. Então, no minuto em que você nasceu, as regras do jogo exigiram que você também tivesse um caso de amnésia sobre todo o arranjo. Este é o reino da vida no reino físico.

No entanto, quando você dorme, tem a oportunidade de visitar os níveis mais profundos da consciência humana e rever como o plano original está se revelando e fazer mudanças em seu plano, se assim o desejar.

Quando você retorna ao seu corpo físico e desperta pela manhã, a amnésia o atinge novamente. Em segundos, a sua mente consciente retorna ao seu cérebro físico e você se esquece tanto dos sonhos superficiais, quanto das profundas experiências da noite.

A amnésia pode ser uma parte do jogo que estamos participando nesta vida, mas a orientação interior está sempre disponível para todos que prestam atenção a ela. Sua intuição é a sua ligação com a sua alma, ou com o seu ser interior, que está também ligado ao resto do Universo e com todos os níveis da Criação.

Você nunca está sozinho para se atrapalhar na escuridão de uma vida puramente física. Seu ser interior está sempre aí com você, expressando-se através dos suaves sussurros da informação intuitiva. Graças a este compasso interior de sabedoria, você pode sempre sentir que escolha parece adequada.

Você pode dizer sempre quando a sua vida está sendo executada conforme o plano, ou pode dizer igualmente bem se você ficou temporariamente distraído do seu plano. Você tem sempre os meios para estar bem no curso, ou recuar no curso, e explorar os fascinantes temas que compõem o seu plano de vida.

O uso mais produtivo do livre arbítrio é explorar o seu verdadeiro potencial nos temas de sua vida, adquirindo assim a maior experiência possível do seu plano de vida.

O destino é uma influência que vem do seu plano interior. Não há nada de absoluto sobre o seu destino. É uma pressão que busca constantemente a melhor rota para se revelar na manifestação.

O livre arbítrio proporciona os meios para manifestar este destino de uma maneira que proporcione o aprendizado que você veio aqui para adquirir nesta vida.

O destino é variável. Ele se adapta a novas circunstâncias em sua vida, todos os dias. À medida que o destino se revela, você o sente como uma sensação de ser uma parte do fluxo da vida, de manifestação do seu potencial, da maneira que você planejou para este dia e que planejou para esta vida.

O destino é o plano.
O livre arbítrio é a ação.
A experiência é o resultado.

É isto que é o ser humano.

Por favor, respeite todos os créditos ao compartilhar
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/08/destino-e-livre-arbitrio.html
http://www.spiritualdynamics.net/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

LUZ!