ESTE BARCO NÃO TEM REMOS

22/03/2014 13:44
 

 

 


Mensagem de Karen Bishop
19 de Março de 2014


Saudações e Bem-Vindos.

“Onde estou?” 

“Ui. Meu cérebro parece ter desaparecido. Foi-se.” 
“Eu não tenho a mais leve motivação. Nada. Nenhuma.” 

“Eu mal posso colocar um pé em frente do outro!” 

“Eu não tenho dormido por várias noites! Eu apenas fico lá deitada, debatendo-me... flutuando.” 

“Tudo parece estranhamente vazio.” 
“Eu não me sinto ligada a qualquer coisa.” 

“Nada está se movendo! Ainda que algumas coisas estejam acontecendo ao meu redor, parece tão imóvel, de qualquer forma!” 

“Oh, a confusão mental! Não posso reunir os pensamentos.” 

“Estou cansada.” 
“Não posso me mover.” 
“Não me lembro quem sou.”

Estamos no barco e, acreditem ou não, o barco está avançando.

As coisas estão em formação.
As coisas estão sendo cuidadas.
Preparações estão sendo feitas.

Durante este período devemos nos sentar em nossos pequenos e quase invisíveis barcos, em uma superfície imóvel e vítrea, sem ninguém além de nós mesmos, sem nada no horizonte e sem remos. Nossos barcos estão sendo habilmente conduzidos por um grupo de anjos que estão zelando por cada necessidade nossa, enquanto estamos aparentemente abandonados na terra do nada.

O portal de 11 de Março permitiu um pouco de movimento permanente à frente. E através deste movimento e por algum tempo posteriormente, fomos realmente capazes de aterrissar em uma nova terra... tocá-la... vê-la com os nossos olhos... e sentir como ela poderia ser. Então, tivemos que retornar aos nossos espaços temporários e esperarmos.

A escada das hierarquias vibracionais está agora muito forte e sólida. Isto é uma coisa muito boa e um sinal muito bom. Isto não ocorreu em tempos passados, mas é agora muito evidente. Nossa nova estrutura foi construída com sucesso.

Nossas novas vidas e novos espaços podem ter passado por nossas mentes conscientes no final de semana, e podemos ter até alcançado grande clareza sobre eles. Agora, estamos na espera e no período inicial, antes que possamos ir mais adiante.

Neste último final de semana eu tive que ir para Asheville, na Carolina do Norte, para um compromisso. Eu tinha estado lá em várias ocasiões durante os meus três anos em Brevard (que fica a 45 minutos de carro).

Durante este tempo ele teve uma energia semelhante a muitos dos locais de energia elevada no planeta, e esgotada, pois ela tinha sido absorvida por aqueles que no passado buscaram a sua elevada energia. Não havia muita lá. Mas neste último final de semana foi bem diferente. Era agora a cidade cristalina, com toda a sua glória, com uma vibração elevada e realmente surpreendente.

Grandes estruturas cristalinas surgiram de sua existência no alto da montanha e a energia lá era como sempre tinha sido pretendida. Existir em outra dimensão e plena de vida, e chamando de lar a um lugar que eu sabia que pertencera (pelo menos para pendurar o meu chapéu de tempos em tempos, com os propósitos de “trabalho”).

Eu me sentia em casa e mais viva do que me sentira por eras e eras do tempo. O novo plano para a minha nova vida se revelou também, e ainda que eu estivesse recebendo vislumbres deste plano, desde a minha chegada aqui, em Carolina do Norte, no final de Fevereiro, mas desta vez, era como se eu estivesse vivendo isto agora. Estava aqui. Tinha chegado.

Estamos ficando mais próximos agora. Estamos nos preparando para a experiência inicial. Estamos na travessia. E nisto, o impulso e a pressão de cima estiveram quase insuportáveis ultimamente, mais do que nunca e criando um enorme stress em nossos seres, fazendo com que alguns pensassem como iriam sobreviver.

Mas, uma vez que cheguemos, esta pressão irá diminuindo e todos as indisposições relacionadas à saúde a que temos sucumbido, irão cessar.

Quando alcançamos espaços em nós mesmos, onde não podemos absolutamente suportar mais, é geralmente porque estamos no final deste velho espaço. Esgotamos outro espaço temporário e podemos realmente senti-lo. Estamos no final dele. No limite dos nossos recursos, no final de nossa paciência, de nosso tudo.

Não há nada lá para nós, porque estamos nos preparando para avançar. E junto com isto, vem geralmente uma estranha depressão e sentimentos de realmente estarmos desanimados.

Além disto, foi-me dito, devemos diminuir o ritmo em tempos vindouros, ainda que as coisas possam ter mudado. Devemos ter o nosso tempo. Devemos contemplar como é que realmente queremos que sejam as nossas vidas. Devemos refletir sobre estas coisas e permitir que os nossos corações nos guiem.

Os anjos estão ainda conosco, em grandes grupos. Eles estão cuidando de nossas necessidades e guiando os nossos barcos. Eles estão garantindo que alcancemos lugares e situações que se encaixem com o desejo dos nossos corações.

Eles sabem e Deus sabe o que está em nossos corações, pois a voz do coração é a linguagem da nova realidade. É o que se expressa e o que é ouvido. E é neste que encontraremos os nossos pequenos barcos sempre navegando suavemente para a nossa terra muito nova.

Do meu coração para o seu,

Karen

Por favor, respeite todos os créditos ao compartilhar.
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/03/este-barco-nao-tem-remos.html
http://www.gamabooks.com/
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

LUZ!