FELIZ NATAL E FELIZ VIDA NOVA

27/12/2013 11:09
 
 
Por Suzanne Lie PhD
Em 25 de dezembro de 2013
 
 
 
O PRESENTE
 
A criancinha queria muito o presente
brilhantemente embrulhado.
Mas de alguma forma ela sentiu que não o merecia.
 
Toda vez que ele era oferecido a ela
ela recuava envergonhada e abaixava os olhos.
 
Como aquele prêmio adorável poderia ser seu?
Como ela poderia aceitá-lo?
 
Apenas pegue, disse uma voz amorosa.
Há outros que sabem mais do que você.
Mesmo que você não possa ver
todos que trouxeram isto para você,
saiba que ele é seu.
 
A criança não entendeu.
Mas ela confiou naquela voz amorosa
e timidamente foi pegar seu presente.
 
Mas, assim que ela o tocou,
ele desapareceu.
 
Para onde ele foi?
gritou a criança.
 
Ora, agora ele é seu,
disse a voz.
 
Ele não é mais algo
que você deve pegar.
Agora é algo
que você deve possuir.
 
 
Ao nos mudarmos para a Nova Terra, nós devemos nos lembrar de que o que considerávamos "modéstia" na verdade era uma forma de medo.
 
Nós somos adultos no AGORA de nosso EU Multidimensional.
 
Então, nós devemos POSSUIR esse EU e vivê-lo em nossa vida diária.
 
Nós estamos entrando numa epopeia maravilhosamente especial de nossas inúmeras estadas no corpo de Gaia.
 
Nós esperamos na fila e fizemos uma petição para ter a honra de encarnar na era de transição.
 
AGORA nós somos completos.
 
Nós nos tornamos adultos!
 
 
 
MUDANÇA
 
Era uma vez um bebê pássaro.
Ele não podia voar e nem se alimentar.
Impotente, ele ficava no ninho e
esperava seus pais
lhe trazerem alimento.
 
Porque o pássaro era tão dependente
ele crescia louvando aqueles que cuidavam dele.
Afinal, sem eles, ele morreria.
 
Entretanto, com o tempo,
o pássaro começou a mudar.
A penugem de seu corpo começou a cair
e outra coisa a substituiu.
 
Claro, quando o pássaro
começou a perder sua penugem,
ele ficou muito preocupado.
 
O que é essa "outra coisa"?
E se essa "outra coisa"
não for tão boa como minha plumagem? ele gritou.
 
E também, para piorar,
os pais do pássaro em crescimento
não vinham com comida com a mesma frequência.
 
Eles o deixavam sozinho no ninho,
que estava ficando menor a cada dia,
pelo que parecia ser um longo tempo.
 
E agora a "outra coisa"
começou a coçar.
O pássaro queria se sacudir
e abrir seus braços.
 
Mas, infelizmente, o ninho ficou muito pequeno
e, se o pássaro quisesse se movimentar,
ele teria que ficar na beirada dele.
 
Um dia, quando o ninho parecia pequeno demais
e o pássaro sentiu muita coceira,
ele subiu na beirada do ninho
e esticou seus braços.
 
Assim que ele fez isso, veio uma rajada de vento
e tirou o pássaro aterrorizado de seu ninho.
 
Ah não!
Os pais se foram de novo
e o chão estava muito longe.
Com certeza, ele morreria.
 
O que ele poderia fazer para se salvar?
Claramente ele estava sozinho e sem ninguém para ajudar.
E ah, ele sentia uma coceira terrível.
 
Mas, pelo menos agora ele podia se esticar,
mesmo que por uns poucos momentos.
Mas algo aconteceu
quando o pássaro esticou seus braços.
 
O mesmo vento malvado
que o arrancara de seu ninho
pareceu pegá-lo pela "outra coisa"
que estava em seus braços.
 
Uau, isto é maravilhoso,
pensou o pássaro.
Mesmo que meu fim esteja próximo, pelo menos
posso aproveitar o tempo que me resta.
 
Então, imediatamente antes
do pássaro chegar ao chão
ele pensou em olhar para onde ele estava
e para onde ele jamais retornaria.
 
Surpreendentemente, quando ele olhou,
o vento o carregou para aquela direção.
 
O pássaro ficou tão entusiasmado
que rapidamente moveu seus braços
com a "outra coisa" neles.
 
Pela primeira vez ele realmente olhou para si
e descobriu que era como seus pais.
 
Ei, estas são asas, gritou o pássaro.
E eu estou voando.
 
Então, o fim realmente era o começo.
E, o que o jovem pássaro
pensou ser sua morte,
era realmente uma nova vida.
 
 
 
Bênçãos em sua nova vida!
 
Nós estamos AQUI AGORA!
 
A parte mais difícil será abandonar o hábito de ser tridimensional.
 
Sue
 
 
 
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com