Limpando o Karma

28/08/2011 22:50

 

Limpando o Karma

por Maria Silvia Orlovas - morlovas@terra.com.br

Afinal, quando começamos com essa história de ter medo de errar?
Você se lembra da primeira vez que sentiu muito medo de alguma coisa?

No meu caso isso aconteceu na infância, quando era ainda bem pequena. Sentia medo de muitas coisas, principalmente, das pessoas. Já pensei muito sobre isso e cheguei à conclusão que minha mãe teve uma grande parcela de responsabilidade sobre isso, porque ela foi muito dura na minha criação. Aliás, se estivesse escrevendo esse artigo tempos atrás, sem todo o trabalho de autoconhecimento, criticaria minha mãe por seu comportamento. Porém, a vida ensina... Graças a Deus, a vida ensina.

Aprendi muita coisa vivenciando a trajetória como terapeuta de Vidas Passadas. Atendendo as pessoas e vendo os seus dramas, muitas vezes vi minhas próprias histórias refletidas e senti a presença de seres espirituais cuidando de mim. Eles me ensinaram a refletir sobre tudo o que nos acontece. Veja o que eles ensinam através de uma simples pergunta sobre karma familiar e a nossa criação: 

O que vem primeiro o ovo ou a galinha?

Quando refleti sobre isso, percebi o quanto me sentia vítima do meu nascimento. Quanto me achava injustiçada pela presença marcante de minha mãe sempre cobrando, sempre exigindo coisas melhores da minha atuação.

Não foi fácil porque quase nunca me sentia forte, ou com valor, ao contrário, por mais que fizesse um esforço para alcançar um resultado não havia prêmio e, sim, uma sensação que eu não tinha feito mais que minha obrigação...

Pois é, amigo leitor, foi daí que vieram minhas travas nesta vida, de uma relação de muita exigência. E as suas de onde vieram?

Seja qual for sua resposta, devo lembrar da pergunta do mentor: O que vem primeiro o ovo ou a galinha?

Descobri que não somos vítimas de um destino infeliz, de uma criação complicada, desenhada por um Deus desconhecido. Vivendo experiências de Vidas Passadas, posso afirmar que muitas coisas já vem impressas dentro de nós. E que o nosso nascimento acontece num lar, numa estrutura compatível com nossas crenças, e que justamente por isso é fundamental mudarmos coisas negativas e prestar muita atenção na forma que agimos, nas escolhas que fazemos, para não perpetuar coisas negativas. Porque é comum ficarmos prisioneiros de nossos sofrimentos.

Os Mestres ensinam que podemos mudar tudo na nossa vida, mas a transformação maior precisa acontecer dentro de nós, nas nossas crenças. E é por isso que mergulhar na meditação, nos processos de autoconhecimento, na terapia de Vidas Passadas é tão importante. Quando vamos nos conhecendo e entendendo como agimos começamos as nos libertar das pessoas e dos padrões. Porque é muito triste ver uma pessoa adulta ainda sofrendo pela falta de amor dos pais, ou porque tem uma história triste. De fato, precisamos reconhecer nossas origens, mas de nada adianta se prender na responsabilidade dos que nos criaram. A vida é nossa, o jeito de viver é nosso. Com certeza, nossos pais têm seus motivos de terem nos criado como nos criaram e, inclusive, o abandono tem explicação. Porém, é preciso dar um passo além do racional. Precisamos sentir que é importante nos libertar, e que o perdão aos pais complicados é fundamental para nossa felicidade. Perdoamos o outro para nos libertar e caminhar. Assim, amigo, coragem! Siga na busca e tenha muita disposição para mudar!