Que tempo é esse?

19/10/2011 00:45

Que tempo é esse?


 

:: Rubia A. Dantés ::



Muitos se perguntam que tempo é esse que estamos vivendo... de final de ciclo, de grandes mudanças, de quebra de estruturas... de revelações... enfim... esse é um tempo de tudo isso, mas... olhando para tudo que estão nos dizendo, o que fica para mim mais claro é que esse é o tempo de realizarmos nosso Propósito Divino... de manifestarmos nossos Dons para melhor servir, com alegria e coragem... de descobrir o que viemos fazer aqui e agora

E para que isso aconteça, só precisamos expressar a nossa simplicidade, a nossa alegria e entusiasmo... porque para estarmos nos nossos Dons, é só a gente ter coragem de ser quem a gente é, nem mais... nem menos...e então tudo se manifesta com leveza...

Mas já notaram como o mais simples se tornou tão complicado...
Parece que onde está nosso maior poder estão nossos maiores medos... Parece que os medos escondem aquilo que a gente mais quer... Mas acho que o medo tem mais medo que a gente mesmo e usa todos os recurso para não percebermos como ele é frágil...

Recentemente passei por uma experiência onde um medo ficou tão real que chegou e me dar um aperto no peito e na garganta...

Então fiz Peça e Receba para liberar a causa desse medo... e durante o processo notei que o aperto ia se suavizando... até que senti estava liberado e veio a imagem de várias pessoas dentro de mim falando que estavam livres...
Fico feliz... até que vejo algo se movimentando saindo de uma parte mais escura... era uma menininha tão frágil que aparentava tanto medo, que me deu muita pena dela e uma vontade de proteger tão grande que imediatamente me vi pegando aquele serzinho no colo... Quando fiz isso... aquela menininha indefesa, se transformou em algo enorme e escuro e ameaçador que me fez pular para traz e, tentando me proteger daquilo imaginei uma luz entre nós...

Quando vejo uma figura de um homem de luz, como se fosse um pai, me falando que eu deveria acolher o meu medo, sem medo... que não adiantava eu tentar negar ou fugir dele porque ele só aumentava... Eu disse que fiz isso quando vi a menininha, mas Ele me falou que, quando eu a vi em sua verdadeira forma eu tive medo e quis fugir... que eu deveria aceitar o medo como ele se apresentasse, sem julgar se era bom ou ruim, bonito ou feio... Tomei coragem e peguei o medo que agora era de novo a menininha indefesa... Assim que o fiz ela logo se transformou naquela coisa feia, monstruosa e escura.... Eu permaneci quieta e acolhi o medo como ele se apresentou... Com isso aquela coisa foi se transformando, tomando uma forma mais suave e clareou até ficar uma massa branca, disforme... em nada ameaçadora.

Resolvi falar que ele poderia agora tomar a forma que quisesse... Confesso que levei um susto e fiquei completamente desconcertada, quando o meu medo se transformou em uma melancia. Passado o susto vi que a melancia estava apoiada na terra, e nesse momento senti um enorme conforto, como se me sentisse também apoiada na Terra... E fiquei muito bem depois disso, com a certeza que nossos medos, só nos parecem tão assustadores porque não temos coragem de olhar para eles como eles são. Entendi que muitas vezes despistamos até da gente mesmo o tamanho e a forma dos nossos medos. As vezes é difícil olhar de frente o que está guardado no mundo das sombras a tanto tempo...
Percebi também que o medo é uma energia que está classificada como algo ruim e até pavoroso, mas, quando acolhemos e aceitamos, como ele se apresenta, a energia que está por traz do medo se torna disponível...
No meu caso ele se transformou em melancia, que eu adoro... que é algo refrescante e que alimenta... e pelo que li na net... devido à quantidade de sementes que contém é tida como símbolo da fecundidade, além de ser entendida como muito feminina... e pela quantidade de água que tem também imagino que é muito receptiva

E me veio uma coragem para mergulhar ainda mais profundo e buscar o que meus medos estão tentando esconder de mim... de ir com força e determinação nessa jornada de transmutar a raiz e a consequência de todo medo, para realizar, aqui e agora meu Propósito Divino... com muito Amor.