VIDÊNCIA

28/07/2011 10:15

 

No meio do dia, um telefonema, voz feminina, objetiva, pergunta sem rodeios: "mas, afinal, o que você faz? O que é vidência?" Surpresa pelo inesperado da questão, sento na cadeira próxima e me espanto: mais fácil seria dar uma resposta sobre amor, negócios, situações particulares, focos quase exclusivos do meu atendimento. Preparo-me para explicar que vidência é um mergulho espiritual, que não faz uso de objetos materiais .

» Siga Vida e Estilo no Twitter
» vc repórter: mande fotos e notícias
» Chat: tecle sobre a notícia

Cada consultor alternativo desenvolve suas próprias formas de ajuda e isso determina sua maneira de empregar energia, para a resolução de um problema ou a busca de uma renovação de vida. Para alcançar uma melhoria é preciso trilhar a via do autoconhecimento, pois todo esotérico se defronta com a questão do merecimento e do carma pessoal do consulente.

No caso específico da vidência, cuja focalização se concentra em torno de um problema atual ou em função de uma proposta de renovação, o procedimento é observar a situação do ponto de vista espiritual, não para prever o futuro, mas para fornecer uma orientação segura.

Se o problema apresentar características espirituais, como ocorre na maioria, é preciso ir em busca do elemento motivador. Atrás de qualquer dificuldade humana, está sempre o determinante cármico, esse ignorado causador de tanta dor e sofrimento.

O carma se expressa na vida humana como a colheita de um plantio anterior, provavelmente de alguma erva daninha (quem planta urtigas, não pode colher rosas), talvez em um ponto longínquo da evolução, e que a inteligência universal quer consertar. Ele se expressa a cada vez que o sistema se conturba e a pessoa não consegue exercer seu livre arbítrio, perdendo assim sua liberdade de escolha.

A meta dos mecanismos de vidência é libertar a pessoa, pelo autoconhecimento, e preparar um futuro mais adequado, que ninguém pode prever o futuro mesmo, a não ser que seja, por ordem superior, para livrar alguém de um perigo ou pelo próprio merecimento do indivíduo. Assim respondi à minha interlocutora. Tenho certeza de que essa resposta poderá ser útil a mais pessoas.

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold, ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Marina Gold